Aulas de Leitura

Foto de Leah Kelley no Pexels
A- A+

Hoje lembrei de uma série de livros infanto-juvenis que faziam sucesso na escola, eram “As aventuras da turma do gordo”. São livros engraçados sobre as aventuras de um grupo de amigos, e como o título já explica, liderados pelo gordo, o mais explorador de todo o grupo.

Com a lembrança da existência desses livros, recordei as polêmicas aulas de leitura. Eu realmente não entendo como algo tão útil pode ser tão polêmico. Não eram aulas em que aprendíamos a ler, mas sim de silêncio coletivo e concentração nos livros. Bem, pelo menos em teoria, às vezes funcionava. Não que eu tenha prestado muita atenção, pois abria o livro e logo estava em outro estado, país ou continente, no mar, em florestas ou algum deserto.

Inicialmente era uma iniciativa isolada apenas em nossa sala, em que o professor mandava alguém buscar a caixa de livros na biblioteca e então cada aluno escolhia o seu. Eu escolhia o livro que me chamava a atenção, e às vezes um dos que havia sobrado. Sentava novamente em minha cadeira, o abria e mergulhava naquele ambiente de aventuras. Logo a aula acabava e nós tínhamos que devolver tudo e levar a caixa novamente para a biblioteca. Aí estava o problema, eu começava a ler uma história e tinha de devolver o livro sem terminá-la, e na outra aula de leitura precisava iniciar uma nova, pois um outro colega geralmente pegava o livro que eu estava lendo. A situação melhorou quando fizeram fichas de leitura para cada aluno, e podíamos levar os livros para casa e devolvê-los quando terminássemos a leitura. Com isso eu comecei a ler os livros por inteiro. Depois de um tempo consegui comprar alguns livros e lia não só nas aulas de leitura, mas em algumas aulas vagas.

Houve uma época que havia uma aula na semana em que toda a escola parava suas atividades para ler, cada turma possuía a sua caixa de livros, separados por idade de público alvo.

Às vezes os professores tinham mais dificuldade de fazer os alunos se manterem em silêncio e se concentrarem nos livros. Um professor comentou que já havia até mesmo presenciado um aluno segurando o livro de ponta cabeça, fingindo que estava lendo. Como alguém aguenta ficar quarenta e cinco minutos em uma sala silenciosa, com um livro aberto nas mãos, sem ler? Bem, continuamos a ser surpreendidos por esses mistérios da humanidade.

18/01/23

Compartilhe:

Sugeridas:

Rodapé
Página Inicial

Página Inicial
© 2021-2023 Vacilou, Virou Crônica! - Todos os direitos reservados.